sexta-feira, 13 de novembro de 2009

ALGUMAS DICAS QUE PODEM AUXILIAR NA SUA COMUNICAÇÃO CORPORAL E ORAL


Vivemos numa sociedade que nos julga baseada em nossa aparência. Antes de ser ouvido você é visto! A forma como você se apresenta nos primeiros instantes da sua fala, imprime nos outros uma imagem, positiva ou negativa. Isto influenciará no grau de receptividade do público.
Mantenha uma adequada postura corporal, pois facilita a projeção vocal e as articulações precisas, transparecendo naturalidade e uma boa estética.
Recomenda-se:

1- Manter ângulo de 90° entre a ponta do queixo e o pescoço;

2- Os pés devem estar apoiados de forma que o peso do corpo seja distribuído a toda a base dos pés.

3- Ao sentar, pés inteiramente apoiados ao chão, costas inteiramente apoiadas no encosto da cadeira e joelhos fazendo ângulo de 90°;

4- Em pé, os joelhos nunca devem estar totalmente travados. Deve-se posicioná-los de forma levemente flexionada evitando alterações musculares na região lombar e cervical;

5- Devemos alinhar o ombro e os quadris durante a movimentação. Ombros sempre relaxados favorecendo o correto posicionamento dos braços, o relaxamento dos músculos respiratórios, evitando má postura e tensão da região superior do corpo;

6- Nuca alongada para facilitar o posicionamento reto da cabeça com olhar na horizontal;

7- Cabeça sempre reta. Cabeça inclinada para os lados ou para baixo pode induzir a afirmação ou negação de determinadas mensagens, além de demonstrar insegurança;

8- Olhar sempre para onde desejamos induzir a voz. Desta maneira refletimos segurança e persuasão;

9- Ao se apresentar, aproxime-se do interlocutor inclinando o corpo levemente em sua direção, assim sinalizando abertura e disposição para a comunicação.

10- Domine o assunto sobre o qual irá falar. Não acredite na sorte, no improviso, porque só com seu estudo e esforço obterá êxito. Se não tiver tempo para dominar totalmente o assunto, use apoios como anotações para consulta ou projeções. Não abuse destes recursos para não evidenciar falta de preparo. Procure saber mais do que irá expor. Imagine as perguntas que a platéia poderá fazer. Estude as respostas. Reduza as possibilidades de risco de se perder, esquecer ou confundir assuntos. Quando não dominamos a matéria temos medo de esquecer algo, não sabermos a resposta para as perguntas da platéia, não sermos eficientes na argumentação e passarmos por inseguros ou incompetentes.

11. Pratique, pratique e pratique o que vai falar. O ensaio é importante para você fazer uma boa apresentação. Organize uma seqüência ideal para falar. Reorganize se preciso. Cronometre o discurso sempre! Respeite o tempo da platéia. Treine em casa e no local um pouco antes da apresentação. Siga as dicas para o ensaio: Use inicialmente suas anotações. Depois, aos poucos, livre-se delas. Cada vez que você ensaia percebe que sua fala acaba sendo um pouco diferente do que ensaiou. É assim mesmo. Na sua memória ficam os pontos principais que servem de gatilho para você improvisar o resto.

12. Procure se conhecer. Identifique seus pontos fracos e também os positivos. Na sua infância pode ter construído uma auto – imagem negativa; agora poderá reconstruí-la gerando a autoconfiança que precisa. O autoconhecimento permite que a pessoa saiba quem é, como os outros a vêem e ouvem. A imagem que fazemos da nossa pessoa pode ser pior do que aquela que os outros de fato observam. Como não trabalhamos psicologicamente estas situações, fixamos uma imagem ruim a nosso respeito. Ao falar em público, nervosos, imaginamos que a imagem transmitida é ruim. Se você não se conhece, é certo que ficará inseguro diante de uma situação estressante como é falar em público.

13. Canalize a energia do nervosismo para o entusiasmo. O nervosismo pode ser transformado em energia positiva e emoção. Aproveite a energia nervosa e coloque emoção nas palavras. Dê vida ao discurso. Adrenalina e emoção são duas coisas intimamente ligadas. Faça-as trabalharem em sintonia, não uma contra outra.

Comentário realizada a partir das contribuições do BLOG do professor Flávio Pereira http://www.blogflaviopereira.com.br

4 comentários:

Rita disse...

Oi,
Muito legal estas dicas, pois muitas vezes não nos atentamos nas nossas posturas e com isso as pessoas acabam nos interpretando mal.

Beijos
Rita 3º RH

Gianfabio disse...

OI Rita,

Realmente, no mercado corporativo precisamos estar muito atentos a questões que muitas vezes achamos que são banais, na fazem uma danada diferença, por exemplo: comunicação Corporal e Oral.

Abraço

Cleverson disse...

olá Gianfabio !!!

Fiquei bem feliz com as dicas, mais dentre todas elas tem algumas que já são marteladas no nosso dia-a-dia, claro que não devemos relaxar, é importante sempre estarmos nos policiando.
Mas eu classifico a 10 e 11 como sendo as principais, conhecer o tema ou o assunto que se vai palestra ou falar é fundamental, mas quando saber que você esta realmente preparado com o assunto? Como fazer para corrigir nossos vícios de linguagem, ou os chamados tick nervosos. Acredito que a prática nesse caso deve ajudar e muito.
Outro aspecto que não entendi é como fazer para canalizar o nervosismo para entusiasmo ou emoção na fala, geralmente quando estamos nervosos temos um bloqueio enorme impedindo que fique relaxado e tenha uma boa desenvoltura.
Abraços.....

Gianfabio disse...

Cleverson,

Canalizar nervosismo para o entusiasmo é possível sim, na psicologia chamamos de sublimação.
Primeiro precisamos respirar e procurar relachar. Lembra da cara de Arvore?
Depois é procurar obter mais informaçoes em relação ao fato.
Neste ponto vc já começa a focar a percepção positiva.
E bum!!!!! as coisas já vão melhorando. Experimente.